UNTITLED

March 2015
Ar Sólido, Lisbon
Variable dimensions 2.86 x 7.50 x 2.80 meters Wash wood and pine wood sand Curator:
TEXT BY

È sempre bom ver nascer um projeto expositivo que não se orienta pelas necessidades mercantis e que se permite uma certa condição laboratorial. Isso é o que promete, programaticamente, este Ar Sólido e o que as suas duas mostras de abertura por agora confirmam. Num espaço neutral de armazém de boas dimensões mostram-se duas intervenções que, não sendo complementares, dialogam entre si. A produção escultórica de Bolota, que, com muita frequência, assume a forma de que se convencionou chamar "site-specific" possui mais poder de interpelação quando age sobre um lugar não imediatamente artístico cuja apreensão é reconfigurada. Neste espaço próximo do "wite cube", o artista mostra uma peça que suficientemente magnética para que essa circunstancia possa ser contornada ou limitada às questões de escala. "Sem títulos" é uma enorme estrutura de madeira cheia de areia de aparência linear se vista de um dos lados e com reentrâncias que se encontram do lado oposto. Há nela uma imanência de fortaleza que exala uma sensibilidade minimal ao mesmo tempo que evoca algo de primevo, simultaneamente sólido e despojado. Marco Pires apresenta dois grupos de obras morfologicamente distintas, mas que pertencem ao mesmo corpo de trabalho, e que mostram como a geografia mas também a cartografia são com frequência assimiladas às mitologias culturais. Num primeiro momento exibem-se as fotografias a preto e branco do deserto Joshua Tree que recordam o espectador das paisagens pedregosas que enquadram os westerns. Outra série em técnica mista associa secções de um atlas do território dos EUA e a intervenção a desenho a grafite, confrontando a fixação cartográfica com um elemento de subjetividade que a indetermina.

in Jornal Expresso, Revista E, 3 de Abril de 2015, p. 87.